10

visitas

WordPress com lentidão por causa do sitemap (RESOLVIDO)

Publicado por

  • 8 de novembro de 2017

O WordPress é o principal sistema para a criação de sites atualmente, mas quanto maior o projeto maior deve ser a atenção em tudo o que for adicionar além da instalação nativa, como plugins, temas, etc. Conforme vamos conhecendo as praticidades que os plugins nos trazem vamos adicionando um atrás do outro, afinal, quem não é programador não quer ficar dependente de um.

Os plugins deixam o WordPress lento? Não deveria. Mas se houver conflito vai causar lentidão, ou ainda, se consumirem muita CPU pode preparar seu bolso porque precisará trocar a tradicional hospedagem por um Cloud ou Servidor Dedicado. É ai que entra nossa experiência ao longo dos anos usando o WordPress. Para um criador de website sem conhecimentos avançados de programação (PHP, etc.) dificilmente vai conseguir identificar o que está causando a lentidão. E você deve pensar: “Mas não é para isso que servem os plugins? Para evitar que eu estude uma vida inteira e me dedique ao conteúdo do site?”. Na teoria sim.

O portal AutoCustom usa WordPress desde 2009, inicialmente hospedado em empresas como Localweb e Uolhost, que por sua vez não avisam os desavisados e vendem planos “ilimitados” que não são bem ilimitados assim. Isso porque sites criados com a tecnologia PHP e Banco de Dados (que é o caso do WordPress) existe um negócio chamado “consulta”. Toda vez que alguém acessa uma página, o arquivo PHP do sistema pode consultar o Banco de Dados e, essas consultas são chamadas de requisições, elas consomem a CPU da sua hospedagem ou servidor.

Quanto maior o número de requisições em acessos simultâneos ao site, maior o consumo de memória de CPU e acreditem, isso é limitado! Existem outras limitações mas não é o caso deste artigo. Enfim, é ai que começa o problema, alguém que está “desenhando” o site acredita na P**** da propaganda, vende o site para o cliente e depois descobre que aquela Maledeta letra pequena do contrato o pegou de surpresa.

Nossa experiência com a Locaweb e Uolhost nos fez perder meses de mão de obra, sonos perdidos e dinheiro jogado fora, até que após dois anos de sofrimento (na Locaweb) fomos informados que “o site precisaria migrar para um plano mais caro, afinal, o site recebia mais de 10 mil visitas diárias”. Ficamos indignados, pois na época bancar um servidor dedicado de 2 mil Reais como eles nos “instruíram” seria impossível.

Antes de desistir do projeto descobrimos uma série de “lixos” na hospedagem que consumiam a CPU, lixos que as empresas de hospedagem não se responsabilizam por ter entrado através do servidor deles (hoje em dia eles vendem antivírus para isso, pasmem!) além disso, em hospedagem compartilhada se seu “amiguinho” do quarto ao lado abusar seu site também vai cair, não importa se você segue as regras e paga os boletos em dia.

Resolvido a questão dos lixos, ainda tínhamos problemas com as requisições, trocamos de hospedagem muitas vezes mas nenhuma aguentava nosso site “pesadão”, segundo eles. Já estávamos até enjoados do sermão “gaste mais!”.

Com isso, a solução foi estudar cerca dois anos sobre todas as questões que causavam lentidão no WordPress. A maioria dos artigos encontrados na web ajudou muito, eliminamos 70% desse problema. Mas antes disso, nosso amigo especialista em servidores Ricardo Lanes nos ajudou com a migração do site para a DigitalOcean, o cloud mais barato e eficiente que encontramos, com planos a partir de 5 dólares.

Depois de meses de muitos ajustes, testes de compatibilidades, otimizações, cachês, etc, começamos então a melhorar a nossa ferramenta para os usuários e também para o Google, afinal, o AutoCustom possui um alto rankeamento nos buscadores. Descobrimos que em certos momentos do dia o consumo de CPU tinha um grande pico e ocasionava a queda do site. E então começou o pesadelo do “gaste mais” de novo.

Enfim, após 1 ano sem descobrir o que causava a lentidão, após todos os “experts” dizendo que poderia ser invasões DDos (isso é resolvido com plugins de proteção) e após milhares de testes com os plugins que usávamos, nada era resolvido.

Até que em um dia, após uma manutenção de rotina e preocupados com o aumento de erros no Google Search Console, descobrimos que o nosso pior inimigo estava “invisível” no sitemap. Toda vez que os “robôs” dos buscadores (Google, Bing, etc) acessavam nosso sitemap a lentidão começava e as vezes derrubava todo o site.

Durante 4 dias testamos e configuramos uma pancada de plugins de sitemap, testamos todas as configurações de todos os jeitos, até que de repente observamos que o consumo de CPU estava sendo causado pelas “imagens” anexadas ao sitemap. Ou seja, o sitemap é basicamente uma tabela que informa os dados básicos de cada post aos buscadores, são eles: título, resumo, URL e imagem (além de outros apetrechos opcionais). Porém, em nosso caso, para cada post estava sendo anexado a “imagem destacada” e todas as imagens anexadas ao post, sendo que alguns posts têm de 50 a 500 fotos.

Resolvemos a questão da seguinte forma: 1) removemos a opção de anexar as imagens dos posts; 2) criamos um sitemap com todas as imagens (attachments) do WordPress; 3) no plugin de SEO colocamos a opção da imagem anexada ao post ser redirecionada ao post, ou seja, se alguém clicar no link da imagem é levada ao post que contém a imagem e não a imagem. PRONTO! Aleluia! Somente essa alteração de 5 minutos resolveu um problemão que nos perseguia por mais de um ano. Nos livramos da pregação “gaste mais”.

Essa é nossa dica! Se não resolver a lentidão do WordPress procure estudar outras questões como requisições, aumento de memória pelo .htaccess/php.ini, plugins, temas, invasões, etc.

“Se alguém tá perdendo tempo é porque outro alguém não fez o trabalho direito”. 

Artigo por Michael Bazzarello